Escurecendo...


Sobre "as coisas não são bem assim"... Historinha real, sendo transmitida, para escurecer a questão.
B: O problema não está na cor. O problema é social.
P: Se nós dois formos a uma loja, aposto quanto você quiser que eu serei seguido e você não.

B: Ok, eu sei que nosso país tem esta questão com os negros mesmo. Mas é uma segregação ficar pensando tudo assim em termos de cor. É como se o problema fosse dos brancos. E o problema não é da cor, é do gênero humano.
P: Olha, o racismo é um problema dos brancos sim.

B: Mas os africanos também escravizavam outras tribos.
P: Mas nunca por causa de cor.

B: Ok, mas se fossem os africanos a dominarem, seriam eles a estarem fazendo isso.
P: Sim, talvez (eu disse: talvez), se numa hipótese dos africanos terem dominado o planeta e feito o mesmo atentado terrorista que os brancos fizeram, realmente TALVEZ hoje a culpa seria dos negros.

B: Mas não é uma questão de cor. É uma questão da natureza humana. Eu, por exemplo, não tenho a menor vergonha de ser branco. Tenho muito orgulho da minha cor.
P: É claro, a sociedade te criou para ter orgulho disto mesmo.

B: Isso não é questão de cor, mas sim de uma cultura. Não temos culpa de termos sido criados dentro desta cultura.
P: Ok, mas hoje em dia é uma questão de cor, dentro desta cultura, sabe? O problema está na cor branca. Não nas outras cores. É o que temos pra hoje.

B: Não é uma questão de cor, mas da nossa cultura.
P: Nossa não. Sua cultura.

B: Minha não! Nossa. Estamos na mesma cultura.
P: Estamos na sua cultura, na cultura branca.

B: Vivemos no mesmo país, na mesma cultura, somos todos parte da mesma cultura.
P: Você já ouviu falar da cultura indígena?

B: É claro, né?
P: Você já ouviu falar da cultura negra?

B: Aí, meu Deus. Lógico que sim...
P: Você já ouviu falar da cultura branca?

B: Mas não é isso que estamos falando... Você está desvirtuando o assunto.
P: Não, estamos falando sobre o mesmo assunto. O que falta é vocês, brancos, entenderem a própria cultura e a começarem a refletir sobre ela.

B: Mas este papo de pretos e brancos apenas segregam as pessoas.
P: Sim, mas esta segregação já existe. Não é por causa do papo não, mas da cultura branca. A diferença é que hoje a gente não finge mais que não vê, entende?

B: Mas você percebe que este tipo de separação de pretos e brancos apenas separa as pessoas? Se torna um discurso de ódio?
P: O discurso de ódio já existe, e você sabe da parte de quem. Vou ilustrar para você entender melhor: imagine que o nosso país, de todos nós, miscigenaaaados, tudo misturado, branco, preto, índio, super legal, fosse invadido por alguma outra nação, sei lá qual... Qualquer uma. Vamos fazer de conta que nosso país fosse invadido, por exemplo, pela Inglaterra. O que você acharia?

B: Que estamos em guerra, claro.
P: E você culparia todos os seres humanos, e que as coisas não são bem assim? Ou de quem seria a culpa da guerra?

B: Dos ingleses, é claro.
P: Percebe que, neste caso, você não diz que faz parte da natureza humana, mas que a culpa tem endereço certo?

B: Mas isso é em caso de guerra.
P: Pois é. Sinto em lhe informar, mas estamos em guerra. E a culpa é dos brancos. Ontem mesmo, lá no campo de guerra morreu uma criança de 11 anos. Na outra semana morreu outra de 14 anos. Na verdade, todo dia morre gente preta nesta guerra. E quem está matando, sinto em lhe informar, são os brancos.

B: Mas isso é problema do tráfico.
P: E porque não vemos este tipo de morte nos bairros em que os traficantes brancos da zona sul moram? Estamos em guerra, e esta guerra tem cor. E, ao menos que você me diga que em caso de guerra internacional você pensaria "somos todos humanos", vou achar que você pensa como eu. Mas no fundo, não quer reconhecer isso, porque a cor do vilão é a sua cor.

....................... FIM DA HISTORINHA .......................................
Parece uma briga, mas não foi. Infelizmente não deu tempo de continuar a conversa. O personagem B teve de sair, e foi embora lamentando não poder finalizar o papo.
É... Às vezes a fala escrita parece ser agressiva por três aspectos:
1- É sempre agressivo quando percebemos que algo que temos de errado em nós está sendo apontado. Normalmente o outro, o que nos confronta, soa agressivo nestes momentos.
2- Letras na internet não tem tom e texto não tem interlocução durante a leitura.
3- A cultura, desculpe, branca, tem como meta principal esteriotipar pessoas negras como naturalmente agressivas e de ignorar que certa "agressividade" (eu diria autodefesa, mas enfim) é totalmente justificável.
Qualquer dúvida, estamos aí para responder.

Sheilla

Um comentário:

  1. Eu nunca tinha pensado sobre o lado dos traficantes brancos. Lendo e aprendendo e tbm seguindo o site e aprendendo :)

    ResponderExcluir

Instagram