Máscaras Africanas

Hoje levei minha filha ao Museu das Minas e do Metal, pois fiquei sabendo que ali ocorreriam algumas atividades sobre cultura africana. 

A atividade proposta (fabricar uma máscara africana) foi bem interessante. As crianças gostaram.

Entretanto, eu, como mãe, senti falta de mais. Os instrutores desconheciam o tema e, por isso, não sabiam explicar o conteúdo que deveria ser aprendido ali. Além disto, poderiam ser distribuídos folhetos explicativos, passar algum filme ilustrando os povos africanos usando as máscaras e inclusive saber em quais países/regiões da África esta tradição ocorre (e se ainda ocorre), mas isso não foi feito. A verdade é que eu não sabia sobre a história das máscaras e realmente queria aprender.

Como eu não poderia deixar isso passar batido e, como eu queria que eu e minha filha saíssemos de lá com um aprendizado cultural, peguei meu celular e fiz uma rápida busca na internet sobre o tema, li em voz alta e depois expliquei para as crianças em uma linguagem infantil.

Acredito que esta minha ação (os pequenos gestos, lembram?) possa ter feito a diferença, pois um dos monitores explicou que na verdade ele desconhecia o tema, pois estava preenchendo a vaga de um colega que ainda não tinha chegado. Ele era de outra área e aproveitou para nos contar sobre a cosmogonia africana (a visão sobre a criação do mundo de povos africanos). Outro monitor explicou que, por algum motivo, hoje estava sem o projetor que explicava melhor sobre as máscaras. 

Bem... Espero que esta ação gere alguma melhora em exposições futuras. Acredito que todas as pessoas, quando perceberem estas falhas, devem apontá-las para que a mudança venha.

Enfim, quando saímos do museu, pedi a minha filha que explicasse ao meu esposo (que foi nos buscar) o que ela tinha aprendido. Ela alegremente mostrou a máscara, e explicou para ele sobre a origem e função da mesma.  “Dever cumprido”, pensei.

Ser mãe negra no Brasil é assim... Estudamos para suprir as lacunas que a cultura branca insiste em deixar na rica história africana.

Bem... O link que li para minha filha foi este: http://historianovest.blogspot.com.br/2009/02/mascaras-africanas.html


Vivendo, aprendendo e sobrevivendo neste mundo “sem racismo”.

Sheilla

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram