Claudia Silva

Hoje completa um ano em que Claudia Silva morreu brutalmente após ser arrastada pelo asfalto ao cair algemada da viatura da polícia que teve a porta de trás aberta.

"O Brasil" não chorou por ela. Mas eu chorei.
"O Brasil" não falou dela. Mas eu falei.
"O Brasil" não se importou com ela. Mas eu me importei.
"O Brasil" já se esqueceu dela. Mas eu não me esqueci.

E sei que como eu tem mais um monte por aí. E esta turma dos que choram, falam, se importam e não se esquecem está crescendo, está se unindo.

Os negros brasileiros, aos poucos, estão saindo da gaiola, estão se enxergando uns nos outros.

Quando eu olho para a Claudia, eu me enxergo. Uma mãe de família, mulher negra e lotada de sonhos. Sonhos estes interrompidos pela brutalidade policial.

Jamais te esqueceremos, irmã. E que Deus conforte os corações de seus familiares. E que Deus proteja os seus familiares.

"Todo camburão tem um pouco de navio negreiro" 
O Rappa

Sheilla

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram